tvcp

Cursinho no Mutirão de Doação de Sangue

Todos os anos, os alunos do Cursinho Pimentas se solidarizam com a necessidade de doar sangue. Os estoques de sangue dos hospitais de Guarulhos estão baixos, e nessa época de frio menos pessoas procuram os hospitais para fazerem suas doações. Ajude você também. Venha doar sangue!

Sarau Feminista

Vejam um pouquinho como foi o Sarau Feminista do Cursinho Pimentas. O objetivo principal deste evento, além de debater os problemas que sofrem as mulheres em nossa sociedade, é mostrar também a arte produzida por elas. Foi um evento rico em conteúdo e belo e provocador como a arte deve ser.

 

 

Projeto Escola no Cursinho

Hoje, 3 de maio, fizemos uma palestra no Cursinho para alunos e alunas de escola pública,com a presença da E. E. Lindamil Barbosa que nos visita. Falamos sobre como funciona um cursinho comunitário, o trabalho de educação ambiental, como os alunos do Cursinho se organizam para prestar os vestibulares mais concorridos do Brasil e sobre tentar trazer as universidades públicas para mais perto da periferia.

Cursinho Pimenta tem simulado das 3 estaduais

Simulado

É feriado, mas o Cursinho Comunitário Pimentas não para. Nesta sexta, dia 21 de abril, os alunos e alunas fizeram simulado. A atividade é essencial para se preparar psico e fisicamente para o vestibular. Nela, os vestibulandos e vestibulandas trabalham a ansiedade e treinam ficar cinco horas sentados fazendo a prova, além de avaliarem seus pontos fortes e fracos em temas determinados.

Para o vestibular, não há segredo. Com muita disciplina, estudo e treino, o êxito é garantido. Anualmente no cursinho, vimos confirmando isso.

Vídeo em comemoração dos aprovados de 2017.

Vídeo em comemoração dos aprovados de 2017.

 

CP tem bate papo sobre vestibular

Alunos USP falam sobre o vestibular

No último sábado, dia 8 de abril, recebendo na nossa reunião geral do Cursinho o Lucas e o Matheus Guerra, ambos alunos da USP, um de Medicina e outro de Direito e que passaram por cursinhos comunitários. Eles conversaram com os alunos sobre vestibular e a importância do planejamento e dedicação a essa jornada. O mais importante de tudo é que os dois foram alunos de periferia vindos de escola pública e estão mostrando que mudar o status quo é difícil, mas é possível. Toda força aos alunos que desejam conquistar espaços e alcançar objetivos que sempre pareceram inalcançáveis.

Solenidade de 10 anos da Unifesp Guarulhos

Durante a solenidade de comemoração dos 10 anos da Unifesp Guarulhos, houve a participação da ex-aluna do Cursinho Pimentas e da Unifesp, Fernanda. Veja o vídeo e confira o que ela falou nesta data tão especial.

 

Tema da redação do ENEM é sobre combate à intolerância religiosa

Esse é o tema da redação do ENEM neste ano. Aqui no Cursinho, o assunto foi debatido em uma das nossas sessões de filme quando assistimos à reportagem “Intolerância e Fé no Brasil”, da TV Brasil, sugerida pelo Professor Rômulo. Consideramos nossos debates extremamente relevantes, porque além de preparar os alunos para possíveis temas que serão discutidos nas provas, nosso objetivo também é prepará-los para que sejam verdadeiros cidadãos, que respeitam os direitos e liberdades do próximo, colaborando para a melhor convivência social. Esse é o nosso diferencial.14925528_1157202214327591_2526145586487889222_n

Alunos e voluntários do Cursinho dando o sangue, literalmente!

Tradição do Cursinho Pimentas, a doação de sangue faz parte da formação cidadã que acontece no projeto. Os alunos assistem aulas e palestras sobre o tema, debatem, e por fim, são convidados a participarem da doação que acontece no Hospital Geral de Guarulhos.

Veja no vídeo abaixo um pouco de como foi a doação deste ano.

 

 

Não reivindicamos privilégios, apenas temos vontade de Constituição

Lauana Simplício Pereira*

No mês passado, o secretário de educação do Estado de São Paulo, José Renato Nalini, publicou no site da pasta um texto em que criticava o Estado que assume papel de provedor de serviços e políticas públicas. Para ele, o Estado deveria apenas controlar excessos e atuar em situações elementares e básicas, como prover a Segurança e Justiça. Então, “tudo o mais, deveria ser providenciado pelos particulares.”  Ou seja, ele não enxerga a educação como um direito que deve ser promovido pelo Estado. Nalini acredita que há uma “proliferação de direitos fundamentais”, especialmente porque “a população se acostumou a reivindicar”. Com isso, foi passado à categoria de direito tudo aquilo que antes era conseguido por meio do esforço, do trabalho individual e de instituições como a família e a Igreja.  Aponta, ainda, que tal proliferação de direitos causou a banalização do conceito de direito, que passa a se confundir com “exigíveis desejos, aspirações, anseios, vontades mimadas e até utopias”.

Desenvolvido para WordPress | Desenhado por: Douglas Lotto